Hora de reavaliar suas competências!

Sempre me intrigavam as pessoas que se diziam leitoras vorazes e, no entanto, escreviam muito mal. Chegava mesmo a cometer a indelicadeza de desacreditar no que afirmavam, até ler um artigo de uma pedagoga que concluiu, por meio de seus estudos, que quando o indivíduo lê sem ater-se à construção das frases, à ortografia e às regras gramaticais, ele pode até entender o conteúdo, mas não necessariamente saberá se expressar da maneira correta.

Saímos da escola com nossa competência na língua portuguesa até onde tenhamos nos esforçado no aprendizado e, na maioria das vezes, nunca voltaremos a estudá-la de uma forma consistente.

Alguns ficarão melhores ao longo dos anos nesse quesito, e outros piores. A razão? Os que se aperfeiçoam reavaliam constantemente as suas técnicas para elevar a sua competência. Irão pesquisar o significado das palavras para se certificar de sua exatidão, vão verificar a ortografia para sanar dúvidas ou revisar os textos para aperfeiçoar a clareza e concisão da redação. Os que se tornam piores são os que nunca corrigem os seus erros, ou mesmo reavaliam os seus conhecimentos.

Fuja da zona de conforto

No trabalho, não fazemos diferente. Ocupamos um cargo e adquirimos competência para o mesmo, de maneira que a atividade se torna fácil e nos coloca em nossa zona de conforto. Depois de um tempo, reclamaremos, insatisfeitos, do salário ou de alguma outra coisa.

Na maioria das vezes, culparemos a empresa por não oferecer recursos para o nosso desenvolvimento. Certamente, a empresa é responsável por desenvolver o seu capital humano, mas isso não nos exime do dever de constantemente praticarmos e nos atualizarmos.

Qualquer competência pode ser adquirida ao longo de nossas vidas, independentemente da idade.  Uma vez adquirida, a competência pode ser melhorada, ficar estagnada ou deteriorar. A opção é de cada um. E a responsabilidade também.